Área do dentista

Comissão de Odontologia do Esporte se reuniu na sede do CRO-PE para planejamento de ações em 2020

Data publicação: 30/01/2020

Responsive image

Aconteceu, na manhã da terça-feira (29/01/2020), primeira reunião da nova Comissão de Odontologia do Esporte do CRO-PE na sede do Regional. O encontro contou com a participação do presidente do Conselho, Eduardo Vasconcelos, que debateu junto aos membros, pauta de atuação da mesma junto ao Conselho em 2020. A Comissão de Odontologia do Esporte é composta pelos doutores Ary Ferreira Nunes (presidente), Alessandro Freitas de Oliveira, André Luiz Gomes da Silva e Waldemir Simões Borba Júnior.

Segundo a Resolução CFO 160/2015, em seu art. 4º, a Odontologia do Esporte é a área de atuação do cirurgião-dentista que inclui segmentos teóricos e práticos da Odontologia, com o objetivo de investigar, prevenir, tratar, reabilitar e compreender a influência das doenças da cavidade bucal no desempenho dos atletas profissionais e amadores, com a finalidade de melhorar o rendimento esportivo e prevenir lesões, considerando as particularidades fisiológicas dos atletas, a modalidade que praticam e as regras do esporte.

"A Odontologia do Esporte é a mais nova especialidade da Odontologia, inclusive, muitos Dentistas não sabem disso ainda. Ela foi reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Odontologia em 2015 e como ainda está se desenvolvendo, a grande maioria das universidades brasileiras não a possuem na grade curricular. Ela vem crescendo a nível de pós-graduação e especialização e temos como uma de nossas missões iniciais, fazer com que a informação chegue a todos", explicou Nunes.

Ainda de acordo com ele, a Odontologia do Esporte visa a manutenção da saúde bucal para não interferir ou reduzir o rendimento do esportista amador ou profissional. "Ou seja, não visa somente o acompanhamento e tratamento do atleta profissional, mas sim de todo e qualquer praticante de atividade física. Mesmo porque já existem evidências de que, por exemplo, infecção bucal pode acometer a musculatura e prejudicar o rendimento."

"Além de tratar de questões como o dopping, ou seja, o cuidado que o dentista deve ter para identificar o paciente atleta, com o intuito de não prescrever nenhuma substância proibida. Outra questão muito importante é a inclusão social, pois aquela criança que pensa em fazer do esporte a sua profissão, precisa desde cedo, ter a consciência de que a saúde bucal é fundamental para o seu êxito", explicou, ainda, o presidente da Comissão.

Ainda de acordo com a pauta apresentada na reunião, neste ano a comissão, junto ao Conselho, pretende fazer um levantamento dos cursos de Odontologia no Estado de Pernambuco e identificar quais Universidades dispõem de atividades relacionadas à Odontologia do Esporte. A partir disto, identificar quais as instituições esportivas que oferecem atendimento odontológico aos atletas e verificar se este atendimento é realizado de modo terceirizado ou com dentista da própria instituição. "Também desenvolveremos atividades informativas e de suporte para as instituições esportivas e para os profissionais atuantes que trabalham com atletas ou esportistas, fazendo com que todos, sem exceção (academias de musculação, crossfit, grupos de corrida, grupos de ciclistas, academias da cidade) tenham acesso a essas informações importantíssimas da nova especialidade", finalizou Nunes.



© 2020 cro-pe.org.br Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por