Área do dentista

CRO-PE discutiu ensino odontológico e qualidade da formação na Reunião da ABENO

Data publicação: 05/08/2019

Responsive image

01 de agosto, o presidente do CRO-PE, CD Eduardo Vasconcelos, esteve presente na solenidade de abertura da 54ª Reunião da Associação Brasileira de Ensino Odontológico - ABENO. O encontro, que seguiu até 03 de agosto no Recife, trouxe como tema desta edição "Horizontes para a educação odontológica" e, entre outras pautas, buscou a reflexão acerca dos horizontes do ensino odontológico frente ao momento de um novo ciclo ENADE e da revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Odontologia.

Durante a programação de abertura, pautas importantes como a modalidade de ensino EAD e a implementação do exame de proficiência na Odontologia, já discutidas pelo CRO-PE, foram abordadas.

"O CRO-PE, assim como todo o Sistema Conselho, encontra-se bastante preocupado e atento à normativa de faculdades que está acontecendo por parte do governo federal/MEC. Hoje já são mais de 520 autorizações de abertura de cursos de Odontologia, entre cursos abertos e autorizados, mas que ainda não estão em funcionamento. Soma-se à questão os profissionais que se formam no âmbito do Mercosul e que em breve poderão ter livre trânsito entre os países. Ou seja, a qualidade da formação de todos esses profissionais é o que nos preocupa. Atualmente, mais de 80% dos processos éticos do Conselho são de jovens Cirurgiões-Dentistas e essa parceria da Abeno com os Conselhos de fiscalização é extremamente importante diante disto, pois incide na melhora da qualidade da saúde bucal da população, uma vez que a formação incompleta pode ser danosa", comentou o presidente do CRO-PE.

"E o Conselho tem buscado alternativas para essa questão através do estudo de dois projetos: O Teste do Progresso, que vem sendo realizado pelo CROSP e o Exame de Proficiência, que será um projeto piloto realizado pelo CRO-PR. Tudo de forma opcional neste momento, pois os dados para aprofundar o melhor caminho para proteger a população e a Odontologia, melhorando a saúde bucal, ainda estão em formação. No entanto, de fato, é preciso alterar a lei que regulamenta o exercício da Odontologia para que o profissional inscrito só possa exercer a profissão se ele passar num exame que ateste que ele tem a mínima qualidade para exercer a profissão de Cirurgião-Dentista", explicou Vasconcelos.



© 2019 cro-pe.org.br Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por